quinta-feira, 8 de março de 2012

Tito 1: Uma boa razão para todo cristão conhecer a Bíblia

Paulo escreve a Tito, seu companheiro e ajudador no ministério, com o objetivo de lhe transmitir orientações a serem praticadas nas igrejas de Creta, para onde ele havia sido enviado pelo Apóstolo. Além disso, há dois objetivos secundários: insistir para que Tito se encontrasse com Paulo logo (3.12); e encaminhar a ele Zenas e Apolo (3.13).

No primeiro capítulo, temos uma grande sessão que coincide com as orientações de I Tm 3, sobre as qualidades que os líderes das igrejas deveriam possuir para exercerem fielmente seu ministério. Os últimos versos dessa orientação dizem o seguinte:

"Deve reter firme a fiel palavra (o bispo), que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar na sã doutrina, como para convencer os contradizentes. Pois há muitos insubordinados, faladores vãos, e enganadores, especialmente os da circuncisão. É preciso tapar-lhes a boca, porque transtornam casas inteiras ensinando o que não convém, por torpe ganância".
(1.9-11)

Paulo justifica, com estes versos, parte da necessidade de o cristão conhecer bem a Palavra de Deus. Mas essa justificativa é para aqueles que têm um compromisso sério e verdadeiro com Cristo, pois já não diz respeito à edificação e ao conhecimento a nível pessoal das Escrituras, mas sobre conhecê-la para abençoar outros. Essa justificativa já passou daquele primeiro momento da nossa vida cristã, no qual estamos acessando as Escrituras para formar a nossa cosmovisão e firmar os fundamentos. Agora, falamos sobre usar o que conhecemos para que a obra de Deus seja executada e com excelência.

Essa orientação é originalmente destinada aos bispos das igrejas com as quais Tito trabalhava e trabalharia, mas certamente podemos aplicá-la a qualquer cristão verdadeiro. Para todos, ela é muito importante. Para o bispo/pastor/presbítero, indispensável. Encaixando-nos em qualquer dos dois grupos, atentemos para o seguinte: é parte da nossa missão garantir que a Palavra de Deus seja pregada fielmente. Paulo diz que é preciso fechar a boca daqueles que pregam por ganância, usando a palavra de Deus para alcançar seus objetivos pessoais e sujos.

Para isso, não precisamos ser acusadores, pessoas que vivem para falar mal de igreja, de pastor, de pregador, movimento, etc. Antes, precisamos conhecer a Bíblia suficiente para sermos "poderosos", como diz o texto, para advertirmos quem estiver errado e convencer os que opõem às Escrituras. Lembremo-nos de que admoestar significa repreender de forma pacífica e visando o bem de quem ouve. Admoestar e acusar não se confundem em significado e não devem fazê-lo na nossa prática.

Sou tentado a escrever páginas sobre isso... Mas vou encerrar por aqui, atendo-me por enquanto à mensagem do texto. Conheçamos a Bíblia para nos embasarmos, desenvolvermos a nossa fé pessoal, nossa cosmovisão cristã. E então, firmados, aprofundemo-nos ainda mais para sermos usados por Deus como instrumentos que promovem uma pregação verdadeira e fiel à boa doutrina.

2 comentários:

Ygor disse...

Isaias 10:1

Ygor disse...

Muito bom