segunda-feira, 5 de março de 2012

II Tm 3: Quando o problema sofre crise de identidade

A Bíblia sabe fazer uma coisa que lhe é muito própria e interessante: inverter a lógica de algumas coisas. Como dar para receber, por exemplo. Não é interessante Jó ter sido abençoado enquanto orava por seus amigos? E o salmista Davi, que tinha uma vida conturbadíssima, escrever o Salmo 23? É muito intrigante ver como o coração de Davi não obedecia as circunstâncias ao redor.O seu país podia estar em guerra, que mesmo assim ele sentia seu coração deitado em pastos verdes e guiado mansamente a águas tranquilas...

Este capítulo de II Tm também faz uma inversão, traçando um paralelo muito interessante. Os versos 1-9 dizem como os últimos tempos seriam trabalhosos, pois os homens estariam mais interessados em si mesmos do que em Deus e no próximo. E o segundo bloco, que fecha o capítulo, de 10-17, contém uma palavra de incentivo de Paulo a Timóteo, para que ele perseverasse na sã doutrina. E a inversão está nos versos 12-13:

"E na verdade, todos os que desejam viver piamente em Cristo jesus padecerão perseguições. Mas os homens maus e enganadores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados".


Confesso que achei graça do texto na leitura atual. Segundo o Apóstolo Paulo, Timóteo era alguém que estava observando atentamente o que lhe era ensinado e também a forma como Paulo vivia, o que lhe servia de exemplo. O Apóstolo diz que sofrera perseguições em Antioquia, Icônio e Listra, mas foi livre de todas pelo Senhor. E desenvolve seu argumento através dos versos acima. Sua fala afirma que todos os que caminham com Cristo serão por isso perseguidos, terão dificuldades, passarão por maus bocados nas mãos de pessoas más. E o que me chama a atenção é o "mas" logo depois dessa afirmação.

É como dizer que aqueles que andam com Cristo estarão em dificuldades, mas quem não anda com Cristo é que tem problemas de fato. Os cristãos serão perseguidos, mas os enganadores irão de mal a pior. Quem anda honestamente com Deus sofrerá por isso, mas quem engana está com um grande problema para resolver.

Se há algo com o que devemos de fato nos preocupar é com a nossa caminhada com Cristo. Como estou desenvolvendo meu relacionamento com Deus? Tenho seguido o exemplo de Timóteo, que andava nos passos de Paulo, seu mestre, observando atentamente e seguindo bem o que lhe era ensinado? Ou engano a mim mesmo e àqueles que estão à minha volta, aparentando uma devoção a Cristo que não passa da aparência?

Se estou caminhando com Cristo, ainda que seja perseguido, não sou eu quem tem um problema. Se caminho com Cristo, estou com minhas questões mais importantes resolvidas, pois o cuidado da minha vida está nas mãos do Senhor. Se ando com Cristo, quem tem problema é outro, não eu. Ainda que sofra, estarei bem. Mas, se em algum momento enganar a mim mesmo, vivendo um cristianismo medíocre e/ou aparente, posso saber que ganhei um problema verdadeiro.

Que Deus nos ajude a sermos sinceros e autênticos, com um coração entregue à ele. Sendo por ele fortalecidos, a maior das dificuldades se torna plenamente administrável. O que não podemos é a sua companhia e bênção conosco.

Nenhum comentário: