quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

II Ts 1: Do Senhor é a vingança (?)

"Deus é justo. Ele dará em paga tribulação aos que vos atribulam, e a vós, que sois atribulados, alívio conosco, quando do céu se manifestar o Senhor Jesus com os anjos em seu poder, em chama de fogo. Ele tomará vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus. Eles por castigo padecerão eterna perdição, banidos da face do Sennhor e da glória do seu poder, quando vier para ser glorificado nos seus santos, e ser admirado em todos os que creram, naquele dia (porque o nosso testemunho foi crido entre vós)".
II Ts 1.6-10

Dizem que determinado sujeito zombou de Jesus, chamando-o de homossexual. Então, uma doença séria o acometeu e o sujeito morreu tragicamente. Conta-se a história de um grupo de amigos que saía de viagem e, quando alguém disse: "vão com Deus!", o motorista retrucou que não havia espaço para ele, pois o carro estava lotado, mas que ele poderia ir no porta malas. O carro capotou, segundo a história, todos morreram e um pente de ovos que estava no porta malas continuou inteiro. E imagino que você ainda consiga lembrar de outras histórias, que podem ser verdadeiras ou não, sobre situações em que alguém disse ou fez algo contra o Senhor e recebeu de forma trágica a paga pela sua rebeldia.

Pode ser que algumas coisas assim tenham acontecido. Pode ser também que tenham sido ação de Deus ou apenas coincidência. Por certo, sei apenas que nos cabe não exercer juízo. E, assim como o Senhor não tem prazer na morte do ímpio, não devemos olhar para situações com aquele olhar triunfalista e dizer: "o Senhor fez justiça". Isso pode ser tão errado como aquele ato que estamos condenando.

O texto acima diz que o Senhor recompensará tanto justos como injustos. E ele encontra amparo no restante das Escrituras, sabemos. O evangelho de Mateus nos diz que, ao voltar, o Senhor separará os bodes das ovelhas. Mandará que entrem no descanso os justos e condenará à perdição os injustos. E isso de fato acontecerá. Apesar de não nos caber julgar quem receberá qual recompensa.

Há uma vertente teológica em algumas das nossas igrejas que enxerga Deus como esse Senhor vingativo, intolerante, que não leva desaforo para casa. Que nos ensina a glorificar a Deus quando alguma tragédia acontece a alguém que zombou do evangelho, da igreja, de Jesus, etc. E que falta de amor, consciência, graça e coerência bíblica isso demonstra! Se Deus é assim, onde está a graça? E por qual motivo tolo eu considero a ofensa manifesta de alguém mais grave do que a minha ofensa velada com o meu pecado que não foi exposto? Isso não é motivo para glorificar a Deus, mas sim um atestado de imaturidade na fé.

O texto de II Tessalonicenses, como outros, diz que o Senhor recompensará a cada um na eternidade. Se alguém te prejudicou, injustiçou ou ofendeu, e de fato você foi alcançado pelo amor de Deus, a atitude ideal não é esperar que um raio caia do céu na cabeça do ofensor. Antes, esperemos em Deus que cuide de nós e oremos para que o ofensor conheça ao Senhor e seja alcançado por sua graça. Pois o castigo eterno é pesado demais, caso tenhamos nos esquecido. Esperemos que todos conheçam a Deus e sejam por ele agraciados. E que tal demonstrarmos também, com nossa atitude um pouco dessa graça?

A "vingança" é do Senhor. Que ele cuide de cada um de nós. E que possamos esperar uma recompensa justa, seja qual for.

Nenhum comentário: