segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

I Ts 4: Conselhos de Paulo para a santidade

"Finalmente, irmãos, nós vos rogamos e exortamos no Senhor Jesus que, como recebestes de nós, quanto à maneira por que deveis agradar a Deus, assim andai, para que abundeis cada vez mais. Pois vós bem sabeis que mandamntos vos temos dado pelo Senhor Jesus."
I Ts 4.1-2

Texto mais direto do que o deste capítulo é raro. O Apóstolo Paulo diz que os tessalonicenses já conhecem a forma como agradarão a Deus, através do cumprimento dos mandamentos, e os relembra deles. Agora, nos versos 3-12, a fala de Paulo aborda três requisitos para agradar ao Senhor: fugir da prostituição; praticar o amor fraternal e trabalhar pela própria provisão. Segundo o Apóstolo, essa é a vontade de Deus para a nossa santificação (4.3).

Paulo era um homem que conhecia bem a si mesmo e a natureza da humanidade, em geral. Qual a razão de, dentre tantos pecados que poderiam ser listados, ele recomendar o cuidado com a prostituição (4.3-8)? A sexualidade é um dos maiores potenciais de tropeço para o cristão. Jesus também teve essa preocupação e quando foi falar sobre o adultério, disse que o problema, o pecado, não era consumar o ato, mas apenas desejar alguém de forma ilícita já era considerado um adultério no coração. O Senhor também nos conhece e sabe que se alimentarmos o nosso coração com desejos que não nos convém, uma hora acabaraemos caindo. Viver a pureza sexual a cada dia e nas pequenas coisas, nos garantirá boa parte da nossa santidade.

Além de fugir da prostituição, devemos praticar o amor (4.9-10). Um dos pecados mais comuns no meio da igreja está ligado diretamente a problemas de relacionamento. Enquanto deveríamos amar ao próximo e honrá-lo, abençoá-lo, vemos muitos que não fazem a mínima questão disso, e se perdem em seu egoísmo, individualismo e desprezo pelo próximo. De forma disciplinar, devemos decidir diariamente ter um bom relacionamento com o irmão. E fugir de invejas, brigas, discussões fúteis, de ter sempre a razão e a última palavra, etc. É um erro grosseiríssimo cultivarmos maus relacionamentos, pois o segundo maior mandamento, um dos dois que resumem toda a lei, nos diz para amarmos o próximo como a nós mesmos.

E por último, e de forma interessante, Paulo diz que cada um deve buscar o próprio sustento a partir de seu trabalho (4.11-12). Vale a pena transcrever esses versos:

"Ambicionem uma vida tranquila, e busquem tratar dos vossos próprios negócios, e trabalhar com as vossas próprias mãos, como já vo-lo temos mandado, para que andeis honestamente para com os que estão de fora, e não necessiteis de nada ou de ninguém"

Tomei a liberdade de fazer uma tradução mais próxima do original nos dois versos acima, nos trechos em negrito. Paulo fazer essa recomendação nos diz ao menos duas coisas: uma delas é a mesma que disse aos tessalonicenses, que devemos trabalhar pelo nosso pão e, não tendo necessidades dos que estão de fora, servir-lhes de bom testemunho. E a segunda, é sobre a postura de Paulo ao recomendar essa atitude como necessária à santificação daquele povo. Isso nos fala sobre sua individualidade.

Para mim, a melhor forma de me santificar pode ser buscando mais domínio próprio nas situações de crise, discussão, tensão. E pode não fazer o mínimo sentido que isso seja recomendado para você. Assim como a recomendação sobre o trabalho pode também não fazer. Mas o que nos está sendo mostrado é que o nosso aperfeiçoamento no Senhor depende de quais são as nossas fraquezas. No caso da igreja de Tessalônica, a ociosidade era um problema a ser resolvido. No nosso, pode ser o individualismo, a carnalidade, a falta de domínio próprio, de educação, de consciência para com o meio-ambiente, etc. O Senhor quer o melhor de cada um de nós, individualmente. Não há fórmula para a santidade, mas apenas a necessidade comum e pessoal nossa de nos aproximarmos do Senhor e o agradarmos.

Que Deus nos abençoe para conseguirmos nos aproximar dele a cada dia. Que nossa santidade, cultivada por ele, possa ser sempre crescente. Assim o agradaremos, teremos uma vida coerente com o evangelho e de paz.

Nenhum comentário: