quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Fp 4: Vencendo a ansiedade

"Não andeis ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e pela súplica, com ações de graças, sejam as vossas petições conhecidas diante de Deus. E a paz de Deus, que excede todo entendimento, guardará os vossos corações e as vossas mentes em Cristo Jesus".

Muitas vezes já desejei que apenas saber de alguma verdade ou princípio fosse suficiente para colocá-lo em prática. Mas infelizmente não é assim. É como o próprio Paulo falou sobre o pecado em Romanos cap. 7, que o bem que gostaria de fazer não era feito, mas o mal que evitava constantemente era praticado. Além de conhecer o que é certo, é preciso ter uma consciência forte o suficiente para gerar razões e motivação para colocarmos algumas verdades em prática.

Assim é com aquilo que normalmente gera nossa ansiedade. Se apenas ler os versos acima nos fosse bastante para não ficarmos ansiosos, o mundo seria um lugar mais tranquilo, no mínimo. Mas precisamos aliar à nossa compreensão e a fé e a determinação para seguirmos a orientação do Senhor e vivermos melhor. Afinal, é o único fim dessa orientação de Fp 4.6-7: através da nossa fé em Cristo, não andarmos como quem não conhece a Deus, cheio de preocupações e ansiedades, sendo oprimidos por suas questões cotidianas. Podemos confiar em Deus, apresentar a ele nossas necessidades e vivermos tranquilamente.

A fórmula dada pelo texto, de orar, suplicar e agradecer, nos convida a entregarmos nas mãos de Deus nossas questões através da simples oração, primeiramente; suplicar, orar com fervor e vontade, num segundo momento e crer que seremos atendidos, sendo já gratos a Deus. E a consequência disso é aquilo que considero um dos versos mais consoladores da Bíblia: a paz de Deus, que está além de todo entendimento, de toda razão, de toda explicação racional.

Essa paz, consequência da fé e da entrega das nossas preocupações ao Senhor, não é passível de ser racionalizada. Ela é de fato inexplicável. A situação à nossa volta pode ser totalmente desfavorável para nós, mas ainda assim o Senhor coloca em nosso coração descanso. Lembremo-nos de Davi escrevendo o Salmo 23. Quando ele diz que o Senhor é o seu pastor, o que não lhe deixa faltar nada, e que ele o faz deitar em pastos verdes, guiando sua alma à águas tranquilas, está falando de uma paz que excede a razão. Lembra-se de quem foi Davi? Um rei que comandou durante muito tempo o exército de seu país nas duras batalhas de guerra. E queremos pensar que Davi tinha uma vida sossegada, a ponto de dizer que vivia como se estivesse deitado numa linda e verde grama, ouvindo o som de águas refrescantes?

Se o nosso coração for apascentado pelo Senhor e se confiarmos nas suas mãos as razões das nossas ansiedades, viveremos com Davi. Ainda que com guerras e tribulações ao nosso redor, viveremos em paz. Pois a paz que Deus nos dá não depende do contexto, mas de como lidamos com ele.

Graças a Deus, que nos dá descanso em tempos difíceis!

Nenhum comentário: