segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Cl 1: Avaliando nosso crescimento espiritual

Paulo começa sua carta da maneira tradicional, identificando-se a à Timóteo, que com ele está e escreve e cumprimentando os irmãos com a paz do Senhor. Os elogia por sua fé e amor que têm para com os irmãos e ainda elogia Epafras, pastor deles. Em seguida, o Apóstolo escreve seus desejos para com os colossenses através de uma oração (1.9-14). Nela, identificamos aspectos relevantes para o nosso crescimento espiritual, pois está expresso ali o desejo de Paulo para a espiritualidade de seus destinatários.

Para vermos de forma completa e objetiva, abaixo seguem, de forma sistemática, cada ponto abordado pelo autor. A partir deles, temos condições de colocar nossa espiritualidade na balança e ter uma visão de nosso crescimento a partir do olhar de Paulo. Vejamos:

1 - Precisamos ser cheios do conhecimento da vontade de Deus, com sabedoria e discernimento espiritual (9).

Se conhecemos a vontade de Deus, andamos seguros. Se a temos conhecido diariamente, nossa vida então tem caminhado a bons passos para um destino certo. Caso contrário, dúvidas e falta de perspectiva certa nos dominam. Para nosso crescimento, não podemos negociar o conhecer o plano de Deus para nossa vida.

E isso, como associa Paulo, está ligado à paciência e ao discernimento espiritual. Não podemos deixar de ser pacientes, perseverantes, nem podemos abrir mão de uma boa visão espiritual. Por negligenciarmos certas verdades espirituais, podemos ser capazes de fechar as grandes portas da nossa vida para o pecado, como para o adultério, a desonestidade no trabalho, a falta de ética nos negócios, etc. Mas podemos, numa outra mão, abrir pequenas e aparentemente inofensivas portas, assistindo a programas que promovem práticas inconvenientes a cristãos, por exemplo, e que pouco a pouco vão alimentando o pecado em nós. Não podemos nos dar ao luxo de sermos ingênuos espirituais. Nosso crescimento também depende disso.

2 - Andar em conformidade com o caráter de Deus, agradando-o e frutificando (10).

Como ser um cristão mediocre, que não cresce espiritualmente e tem um testemunho ineficaz? Andando segundo a própria vontade e não atentando para o caráter de Deus, nosso norte moral. O Salmo 115 diz que aquele que adora a imagens torna-se como elas: têm olhos mas não enxergam, ouvidos mas não ouvem, boca mas não falam. Nos tornamos semelhantes àquilo (ou à quem) adoramos, veneramos, cultuamos, nos espelhamos. Se o Senhor é santo, justo e bom, devemos a cada dia ser mais parecidos com ele. Negligenciar o seu caráter santo é fadar a vida cristã à mediocridade. E se nos espelharmos mesmo nele, estaremos agradando-o e prontos para dar frutos. E como diz Jo 15, aquele que dá fruto o pai cuida, para que dê ainda mais.

3 - Crescer no conhecimento de Deus (10).

Sempre me surpreenderá a capacidade de muitos de se denominarem cristãos, mas negligenciarem a Bíblia como necessidade básica para o desenvolvimento da fé e do conhecimento de Deus. Não se conhece a Deus somente pela oração ou indo à igreja. Tudo isso é indispensável, mas aliado à uma vida devocional verdadeira, que preza pela oração, leitura bíblica e prática cristã. Fazendo isso, conheceremos a Deus diariamente. O contrário é cultivar uma religião.

4 - Ser fortalecidos na paciência e na longanimidade (11).

A paciência é uma virtude fundamental da fé. Deus é perfeito e sabe o que é melhor para nós, sabendo inclusive quando algo é de fato bom para nós. E sermos pacientes é necessário, pois o que esperamos em determinado momento pode ser bom para nós somente daí a algum tempo. Precisamos ser pacientes e ainda longânimos, ou seja, tolerantes, generosos, não-alheios às dificuldades dos irmãos. E dá-lhe crescimento para nós, observando tudo isso...

5 - Sendo gratos (12).

Como o texto diz, Deus nos transportou para o reino de Cristo, libertou-nos das trevas dos nossos pecados e nos redimiu no seu sangue. Como não ser grato? Expressar nossa gratidão ao Senhor em nossas orações e também na prática, nos fará lembrar sempre de onde viemos, onde estamos e qual o nosso destino certo.

Seguindo estes passos, cresceremos de forma relevante. Reparem que 2 pontos são bem semelhantes: precisamos conhecer constantemente a Deus e à sua vontade. E para isso, precisamos desenvolver nosso relacionamento com Deus e com sua Palavra. Que Deus nos ajude a observar cada ponto necessário para o nosso crescimento e de forma natural. Afinal, é o Espírito Santo quem trabalha essas necessidades em nós, renovando-nos e conduzindo-nos à boa, perfeita e agradável vontade Deus.

Nenhum comentário: