sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Gl 6: Semeando, se esforçando e colhendo.

Falar deste capítulo de Gálatas com o espaço limitado que opto por usar aqui é uma covardia. A impressão que o texto me dá é a de que Paulo queria escrever até o capítulo 20, mas teve que terminar no sexto. O conteúdo é tão grande para tão pouco espaço, que não me arriscarei nem a resumir o capítulo. Fiz uma opção por um trecho seu e o trataremos aqui. Noutra oportunidade conversaremos sobre o restante, ok?

O trecho escolhido é o de 6.7-9. É possível transcrevê-lo aqui:

"Não vos enganeis: Deus não se deixa escarnecer. Tudo o que o homem semear, isso também ceifará. O que semeia na carne, da carne ceifará a corrupção; o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de fazer o bem, pois a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido."

Concordem comigo que só com esses 3 versos poderíamos escrever um livro. Para ficar ainda mais clara a abundância de temas e relevância da mensagem do capítulo, observe que os seguintes trechos carregam mensagens profundíssimas: 1-2; 3-5; 6; 7-9; 10-15; 16-18. Leia o capítulo observando os temas abordados por cada uma dessas divisões e faça uma breve reflexão. Estou certo de que será bem proveitoso.

Mas voltando ao nosso trecho, o Apóstolo está dizendo que colhemos o que plantamos, em termos gerais. E que Deus não faz vistas grossas à nossa semeadura, mas estabeleceu uma lógica certa, que diz que o que plantarmos colheremos. Quando é dito que Deus não se deixa escarnecer, entendo que o sentido da fala está bem claro. Ninguém dirá: fiz o que era indevido e me dei definitivamente bem. Nenhum prejuízo ou malefício me acometeu por meus maus atos. O texto sagrado nos adverte: Deus não é um carrasco, mas todas as opções que fazemos trazem consigo consequências. Boas para as boas escolhas, más para as más.

E vejam no verso 8 como isso é certo. Aquele que semeia na carne, que entendemos ser aquele que vive para satisfazer suas próprias vontades e prazeres, terá como fruto a corrupção. E quão coerente é isso! Se acostumo meu corpo e prazeres a ter o que quer, na hora que quer, semeando nele satisfação incondicional, me tornarei escravo dessa satisfação. Veja quem se viciou em pornografia, sexo, compras, drogas, por exemplo. Aquilo que antes era apenas um prazer, agora se tornou em fardo. A harmonia da vida foi corrompida por uma semeadura irresponsável; seu mau fruto não tardou em aparecer.

E o que semeia no Espírito, ou seja, o que investe seus recursos, esforço, tempo, dedicação em cumprir a vontade de Deus para sua vida, terá como resultado a vida eterna. Esse resultado já nos faz entender que o fim do que semeia na carne é o oposto disso, logo, a morte eterna. Mas fazendo a vontade de Deus, santificando-se, semeando no Espírito, viveremos bem e eternamente.

E o verso nove encerra com uma advertência velada: ceifará o bom fruto aquele que não desfalecer, não desanimar. O que semear e trabalhar pelo seu fruto até que esteja maduro, esse o colherá. Que triste é ver pessoas que dedicaram grande, às vezes a maior parte de suas vidas à Deus - ou entendendo que estavam fazendo isso - e desistiram no final. Semearam, semearam, mas não colheram. Precisamos nos dedicar e esforçar para que perseveremos até o fim.

Notemos que, se há tal advertência sobre a possibilidade de nos cansarmos dessa forma, é porque o cansaço e o desânimo sobrevirão sobre quem semeia o bem. No nosso mundo injusto, fazer o correto é muitas vezes doloroso. Podemos ser perseguidos, precisarmos de disciplina até o limite da nossa força, termos que lidar com situações de conflito e de desesperança, muitas vezes. Mas a Palavra de Deus nos adverte a resistirmos, firmarmos os pés e permanecermos vigorosos.

Quantas vezes e em quantas situações não nos vemos semeando coisas que não agradam a Deus? Discórdias, brigas, fofocas, intrigas, maus costumes, palavras torpes, atitudes impensadas, posturas egoístas, etc.. Tudo isso pode fazer-nos colher, em determinado momento, corrupção que nos levará à perdição. Ou que a atestará, somente. Portanto, esforcemo-nos e não nos cansemos de fazer o bem e de permanecermos fazendo-o. Aquele que nos deu a boa semente e que nos acompanha na semeadura há de nos abençoar para termos uma boa colheita.

Nenhum comentário: