sábado, 22 de outubro de 2011

Paulo aos Romanos: a carta mais importante da história

Começo hoje a ler e a escrever sobre a carta de Paulo aos Romanos. E que desafio é este! Homens importantes no meio cristão escreveram sobre esta carta, que é considerada a mais importante e teologicamente profunda do Novo Testamento. Antes de entrarmos no texto, algumas informações já nos são relevantemente preciosas e as veremos primeiro.

Paulo escreveu esta carta em sua terceira viagem missionária, quando estava em Corinto. O texto de At 18.23 a 21.14, especificamente o capítulo 20, fala deste período na caminhada de Paulo e de quando esteve na Cidade que serviu de berço para carta.

O Apóstolo não conhecia a igreja em Roma. Não se sabe quem a havia fundado, apenas especula-se que os romanos presentes no dia do Pentecostes podem ter sido os primeiros a levarem o Evangelho à cidade. Ainda assim, Paulo os escreve. Ele tem a intenção de visitá-los quando estiver de passagem a caminho da Espanha, lugar que pretende evangelizar. Tal viagem e visita nunca aconteceram. Paulo só visitou Roma quando preso, cumprindo ali dois anos de prisão domiciliar.

Paulo escrevendo para um povo que ele não conhecia e cuja comunidade cristã havia sido fundada por alguém que dificilmente tenha sido um apóstolo. Romanos, cidadãos nascidos na centro do Império que dominou as principais nações em sua época, inclusive a de Paulo. O Apóstolo ter escrito a este público demonstra sua preocupação exclusiva e genuína com o evangelho verdadeiro. Ele não escrevia apenas para as igrejas que ele tinha cuidado ou para as que dali tiraria algum benefício. Paulo escrevia com o objetivo simples de doutrinar para uma prática cristã correta.

Fosse no nosso tempo, possivelmente as igrejas de Paulos seriam identificadas pela placa (ridícula) "Ministério Paulo de Tarso", ou "Ministério de Tiago, o irmão do Senhor", etc.; e com elas ele se preocuparia. Mas a unidade e a falta de pretensões puras eram características do ministério de Paulo. Seus escritos aos Romanos nortearam não só a prática deles, mas a de todo o mundo cristão desde então. Uma carta a desconhecidos, escrita com tal excelência e preocupação que mudou o mundo.

Uma carta que revela pretensões e desejos do maior dos Apóstolos que não foram realizados; a expectativa que ele demonstra no primeiro capítulo da carta foi frustrada (1.11-13), mas ainda assim foi uma carta que mudou o mundo.

As motivações de Paulo e o impacto que esta carta causou (e causa) já são exemplos e servem de pano de fundo para termos uma elevada expectativa sobre sua leitura. Pela primeira ou pela enésima vez, leiamos juntos este livro. Amanhã começo os devocionais sobre ela. Hoje, a estudo um pouco mais. Nos aventuremos por onde John Stott, Sir Martin Lloyd Jones, Karl Barth, Calvino e tantos outros cristãos de destaque histórico já passaram. Com muito temor, comecemos essa leitura e reflexão. E que o Senhor nos guie!

Nenhum comentário: