terça-feira, 4 de outubro de 2011

At 6: Estevão: excelência na simplicidade

Estevão, diácono da igreja primitiva, aparece em Atos 6. A igreja teve a necessidade de escolher alguns homens para cuidar da distribuição de alimentos, pois começara a surgir uma divisão entre as viúvas gregas e as hebreias. As gregas achavam que as hebreias estavam sendo privilegiadas ao receber os donativos da igreja. Para resolver o problema e deixar alguém responsável constantemente por esta tarefa, os apóstolos elegeram Estevão e mais seis homens.

O critério de seleção era simples: eles deveriam ser homens "de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria" (6.3). Apesar de alguns poderem pensar que era muita exigência pra pouco cargo - pensamento medíocre, mas que está solto por aí, esses pré-requisitos valem para qualquer um que queira ter uma vida cristã decente e com um testemunho íntegro.

A função de Estevão era muito simples. Mas a forma como ele a executava, não. O verso 8 do mesmo capítulo diz que "Estevão, cheio de fé e de poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo". Alguns se levantaram contra ele, pois não era alguém comum. E o texto diz que, mesmo havendo muitos discutindo com ele, "não podiam resistir à sabedoria e ao espírito com que ele falava". Afim de acusa-lo mesmo assim, levantaram um falso testemunho e o apedrejaram até a morte.

Estevão tinha a simples tarefa de cuidar da distribuição de alimentos na igreja. Mas era um homem cheio do Espírito, sábio e com conhecimento suficiente para fazer muito mais do que lhe estava confiado. Aqueles que se levantaram contra ele ouviram uma mensagem maravilhosa dos seus lábios. Estevão faz um grande discurso no capítulo 7, resumindo toda a história de Israel, desde Abraão, e mostrando como o seu povo ao longo dessa história rejeitou os profetas e, neste último momento, o próprio filho de Deus.

O exemplo de Estevão tem que mexer conosco. Principalmente com aqueles que exercem funções de responsabilidade em suas igrejas. Para distribuir alimentos, aquele homem carregava uma bagagem de conhecimento bíblico impecável, a unção do Espírito Santo, sabedoria vinda de Deus e um coração totalmente entregue ao Senhor. Na simplicidade da sua tarefa, vimos a excelência que cabe a todo que quer se dedicar à obra de Deus. Podemos fazer o serviço mais humilde, simples e aparentemente irrelevante para o Senhor, mas há de ser o nosso melhor.

Nenhum comentário: