sábado, 8 de outubro de 2011

At 11.27-30 - Um bom exemplo de uma profecia verdadeira

A profecia é uma forma de Deus revelar sua vontade para uma situação específica ou de prever algo que está para acontecer. No Antigo Testamento, as profecias tinham como objetivo mais comum exortar o povo pelos seus erros. Elas apontavam o erro e as possíveis consequências daquela prática, mostravam o caminho correto a ser traçado e traziam também as consequências de se andar naquele caminho correto.

Em suma, a profecia continha exortação pelo erro, direção para o certo a se fazer e consequências do erro e do acerto. Uma boa forma de julgarmos se as profecias que podemos ouvir hoje são verdadeiras é analisá-las de acordo com o modelo vetero-testamentário. Ainda, no caso de profecias que antecipam acontecimentos, o cumprimento ou não daquele fato atesta sua veracidade.

No texto que tratamos aqui, houve uma profecia que antecipou a notícia de uma grande fome que assolaria a todos. É um exemplo muito belo de profecia no Novo Testamento! Deus adverte o povo sobre um acontecimento por causa do seu cuidado com ele. Essa advertência gera uma reação naquele povo de abençoar aos que mais sofreriam com aquele acontecimento. Como Deus é zeloso, e como aquela igreja era madura!

São lições para nós estes dois fatos: o cuidado de Deus e a boa resposta da igreja à sua vontade. Se tivermos a maturidade que aquele povo demonstrou para reagirmos corretamente à voz do Senhor, certamente a ouviremos no tempo certo. O porém é que muitas vezes demonstramos o contrário, principalmente em relação às manifestações de Deus com profecias. É comum vermos pessoas que esperam profecias que atendam às suas vontades e não que revelem a do Senhor.

Devemos ser maduros em relação às profecias. As palavras de Deus para nós estão na Bíblia sagrada e por essas devemos ter sede. Se o Senhor quiser falar algo mais específico conosco, que nosso coração esteja aberto para isso. Mas podemos estar certos de que a profecia não contradirá as Escrituras, pode trazer advertências para nós e sempre, sempre implicará numa responsabilidade requerida de nós.

Nenhum comentário: