domingo, 4 de setembro de 2011

O exemplo missionário de Jesus

Jesus era um missionário. Sim, um homem com uma missão, a qual cumpriu cabalmente. Quando pensamos num missionário, a figura que nos vem à mente não é aquela do sujeito que deixou seu lugar de conforto e dedicou-se à pregar o Evangelho em outro lugar/cidade/país? Pois Jesus era um missionário exatamente nestes termos - apesar de esta ser uma imagem muito superficial de um missionário.

A atividade missionária de Jesus começa com a encarnação. Ele deixou a companhia do Pai e dos anjos para se tornar semelhante a nós e assim conseguir transmitir-nos a sua palavra. A maior ponte transcultural (e mais do que isso) foi transposta por Jesus. Ele deixou sua glória para limitar-se à nossa condição. Lembro de ouvir de um missionário que trabalhava com leprosos e que orou a Deus para pegar essa doença, pois sentia-se alheio à dor daqueles a quem evangelizava. Assim Jesus fez conosco.

O exemplo missionário de Jesus é visto em todo o seu tempo conosco. Um bom exemplo é o chamado de Levi, ou Mateus, em Lucas 5.27-32. Mateus era um cobrador de impostos. Isso significa que ele era alguém que, sempre que algum judeu pensasse esquecer do domínio e opressão de Roma sobre o seu povo, bastava olhar para a coletoria na qual Mateus se assentava para "refrescar" sua memória. Ele era grandemente discriminado pelos judeus. Seria como Jesus chamar um político de fama duvidosa para ser pastor hoje. Estranho, não?

Os fariseus questionaram essa atitude de Jesus, no texto citado mesmo, e ele respondeu dizendo que veio para os pecadores, não para os justos. Obviamente, nem os fariseus nem ninguém era ou é justo o suficiente para não precisar de Cristo. Aprendemos com sua fala que Jesus veio para aqueles que reconhecem sua carência de justiça, seu pecado e dependência de Deus. À esses Jesus veio, não aos orgulhosos, religiosos, que pensam já possuírem a verdade.

Jesus comia e bebia com cobradores de impostos e pecadores, criticaram os fariseus. E sua atividade missionária era assim mesmo: relacionava-se com aqueles a quem queria levar seus ensinamentos, e esse é um grande exemplo para nós. Só fazemos missão no corpo a corpo, nos relacionamentos, no toque. Não faremos missões "virtualmente" ou à distância, mas como Jesus fez.

Seguir o exemplo missionário de Jesus significa entender que somos pecadores e carentes de Deus, que é quando passamos de campo missionário para missionários. Significa nos relacionarmos com aqueles a quem pregamos, pois só faremos discípulos - que era o que Jesus fazia - com relacionamentos. E devemos pregar o Evangelho a qualquer que esteja aberto a ele, ainda que seja alguém de má fama ou com qualquer estereótipo. Afinal, nós julgamos mal, pois vemos o exterior. O Senhor, que vê o interior, e certamente encontra muita coisa ruim em todos nós, nem assim julga.

Nenhum comentário: