sábado, 24 de setembro de 2011

Herodes - expectativa errada, experiência frustrada com Jesus

O capítulo 23 de Lucas narra o julgamento de Jesus perante Pilatos e Herodes, sua condenação e crucificação. Ao ler o capítulo, talvez você tenha uma pequena surpresa como eu tive: ver que Herodes, governador da Galiléia, estava interessado em conhecer Jesus (23.8).

O texto diz que ele tinha esse interesse e ainda nos dá o motivo: havia ouvido falar muito de Jesus e queria ver algum sinal feito por ele.

A esperança de Herodes sobre Jesus coincide com a de muitos interessados que procuram uma igreja hoje. Pessoas querem ver algum milagre, sinal, algo palpável em que possam crer. Uma solução urgente para um problema complicado, uma cura, etc.. Aquilo o que Herodes fez, perdura já por muito tempo...

E a atitude de Herodes que segue seu encontro com Jesus também é muito repetida. Lucas nos diz que Jesus foi interrogado por ele com muitas palavras, mas não respondeu nada (23.9). A reação do governador, então, é tratar Jesus com desprezo e zombar dele, enviando-o de volta a Pilatos.

Herodes teve uma reação errada a Jesus por que tinha sobre ele uma esperança também errada. Certamente, se ele quisesse ouvir um ensino coerente sobre as Escrituras, teria sido satisfeito. Caso quisesse conversar com Jesus sobre ele ser ou não o Cristo, mas com uma intenção correta, não teria o problema que teve.

Esse ciclo herodiano repete-se todos os dias no meio cristão. Pessoas esperam de Jesus algo que não o principal de sua obra como se fosse. Quando não veem o Senhor fazer nada do que gostariam, frustram-se e afastam-se da fé que outrora quiseram seguir.

Se alimentarmos e pregarmos corretamente a palavra de Deus, geraremos expectativas corretas sobre Jesus em nós mesmos e em quem nos ouve. Porém, se o fizermos de outra forma, expectativas erradas gerarão decepções, assim como a de Herodes, e podem fazer com que alguém que poderia desenvolver sua fé naquele momento, perca a oportunidade de salvar-se e tornar-se um cristão verdadeiro.

O que esperamos do Senhor determina como será nosso encontro e caminhada com ele. E o que pregamos, influencia no encontro e na caminhada do próximo. Que sejamos conscientes e cautelosos, pois as consequências de um evangelho mediano e de uma pregação superficial ou distorcida do evangelho não podem ser desprezadas.

Um comentário:

Marcus Vinícius disse...

É triste que Herodes tenha feito escola. Conhecer jesus pelo que ele pode fazer é pouco. Temos que conhece-lo pela surpresa de conhecer a pessoa mais espetacular, amorosa e também poderosa que por aqui passou.