quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Servindo como Jesus I - A despeito das adversidades

João 13 é de longe o meu capítulo favorito da Bíblia. O exemplo serviçal de Jesus ao lavar os pés dos discípulos é uma lição preciosíssima de humildade, autoconhecimento, consciência ministerial e, paradoxalmente, até de seu senhorio e soberania.

Após lavar os pés aos discípulos, Jesus diz que, uma vez que saibamos que ele o fez para nosso exemplo, seremos bem-aventurados se o fizermos também.

O verso 2 deste capítulo começa a nos dar o exemplo de como Jesus serviu. Ele diz que o diabo já havia posto no coração de Judas que traísse Jesus. E como o Mestre reage, vemos nos versos 4 e 5:

"levantou-se da ceia, tirou a vestimenta de cima e, tomando uma toalha cingiu-se com ela. Depois colocou água numa bacia, e começou a lavar os pés dos discípulos e a enxugá-los com a toalha com que estava cingido".

Mesmo sabendo que sofreria uma traição que o levaria à morte, Jesus não deixou de servir aos seus discípulos, inclusive ao traidor. Seu exemplo para nós começa aqui, lembrando-nos de um erro muito comum de cometermos: pararmos o serviço quando nos deparamos com uma tribulação.

Este erro é tão comum que acometeu até o autor do salmo 42, quando diz que sentia saudades de quando conduzia a procissão até a casa de Deus. Este salmista, que não dava razão ao sofrimento de sua alma, perguntando-lhe repetidamente a razão de estar abatida e encorajando a si mesmo a esperar no Senhor, teve como consequência de sua luta pessoal um afastamento do serviço (falei sobre isso em uma outra mensagem).

Nossos problemas não devem parar a nossa obra. Precisamos persistir em servir, mesmo sob dificuldades, pois o Senhor assim o fez para nos dar exemplo. Se passamos por uma dificuldade qualquer, Cristo é o primeiro a quem devemos recorrer para encontrarmos segurança e solução. Nessa hora, será que a atitude ideal é nos afastarmos dele e de seu serviço, esperando que ele aja por nós?

Sirvamos a todo tempo. Sejamos bem aventurados seguindo o exemplo do Mestre, uma vez que já o conhecemos.

Nenhum comentário: