quinta-feira, 4 de agosto de 2011

O que importa é que agora vejo!

Em Jo 9, Jesus curou um cego de nascença. O povo nunca ouvira falar de algum cego de nascença ter sido curado, por isso surpreendeu-se com Jesus. Não conhecendo o Senhor e achando que se tratava de mais um pecador comum, se espantavam com a forma como curara aquele homem. Por causa deste sinal, alguns acreditaram que ele vinha de Deus.

A narrativa de seu episódio é grande: 41 versos. Neles, a cura do cego é questionada. Seus pais são interrogados e ele também, duas vezes. O homem é vítima de uma grande falta de compaixão por parte dos fariseus, que valorizaram mais o sábado do que sua cura. O (ex) cego tem sua palavra desacreditada e é acusado de ser "nascido em pecados", de ter nascido com tal problema por causa dos pecados de seus pais.

Pode acontecer conosco: recebemos a Cristo, nossa vida melhora. Somos abençoados por Deus, ele nos ajuda a mudar algumas atitudes e a viver melhor. Temos comunhão com o Espírito Santo, realmente nos entregamos ao Senhor. Mas alguém aparece para duvidar da nossa transformação. Questionam a verdade daquilo que experimentamos e ainda nos acusam com o que entendem ser o nosso passado.

Nossa atitude deve ser a que acredito ter sido a do (ex) cego: "o que importa é que agora vejo!", diria. Jesus abriu nossos olhos. Pode parecer loucura para muitos, mas o importante de fato agora é que vemos quem Jesus é. Com os olhos bem abertos, vendo as coisas espirituais como de fato são, vale a pena passar qualquer coisa por Jesus.

Nenhum comentário: