sábado, 27 de agosto de 2011

Lutas no caminho certo. Pode?

Os primeiros capítulos de Lucas nos narram fatos que lhe são exclusivos. Ele é o único que se preocupa em nos mostrar como foram os antecedentes ao nascimento de Jesus e parte de sua infância, omitidos pelos outros três Evangelhos.

Dois personagens que também lhe são exclusivos são Zacarias e Isabel, pais de João Batista. Recomendo que leiam Lc 1.5-17, ao menos, para continuar neste texto.

Lucas diz que Zacarias era sacerdote e cumpria sua escala anual de servir no templo, quando teve uma visão de um anjo que lhe prometera um filho de seu casamento com Isabel. Sua mulher era estéril e os dois já eram velhos, mas essa foi a palavra do anjo - se você ficou com preguiça de ler, aqui teve um resumo dos versos. Mas não se acostume.

O que me chama a atenção nessa narrativa é o fato de Zacarias ser um sacerdote e, juntamente com sua mulher, serem reconhecidos como quem andava irrepreensivelmente de acordo com os mandamentos de Deus (vs. 1.6). E mesmo assim, acontecia de Isabel ser estéril, o que era problema naquela cultura. Para o judeu infertilidade ou muitos filhos representavam a maldição ou a benção de Deus, respectivamente.

A realidade desse casal desafia muito do que é pregado hoje em muitos púlpitos, principalmente nos neo-pentecostais. Não é por andarem corretamente que esse casal bom e correto deixou de ter dificuldades, e dificuldades que duraram muito tempo, pois eles já eram velhos e ainda sem filhos. Isso nos lembra que o sol nasce mesmo sobre justos e pecadores, e que podemos sim ter dificuldades na vida cristã. Se formos tentados a nos esquecer disso, olhemos para Jesus e os 12. Ninguém teve uma vida fácil...

O Senhor providenciou um filho a Zacarias e a Isabel. Eles se alegraram e mantiveram o temor do Senhor. Mas ainda outro fato me salta aos olhos: o Senhor abençoou seus servos, dando-lhes um sonhado filho. E isso foi feito também com o objetivo de essa dádiva fosse para abençoar outros. João Batista tem seu nascimento anunciado com ênfase no trabalho que ele faria (vs. 1.13-17).

Assim é também a nossa vida e caminhada. Mesmo caminhando corretamente, podemos ter dificuldades no caminho. E o Senhor, gracioso que é, pode nos livrar delas, mas tudo é para a sua glória. Afinal, se somos seus servos, não podemos apenas cantar na igreja que "tudo o que temos e somos vem dele e para ele", sem sermos pacientes e perseverantes com eventuais lutas e consagrarmos a ele todas as vitórias.

Nenhum comentário: