sexta-feira, 12 de agosto de 2011

"Farei tudo o que pedirem em meu nome..."

Capítulo 14 do Evangelho de João. Jesus está fazendo um discurso aos discípulos preparando os seus corações para a crucificação. Os versos 14.1-14 nos mostram um discurso de ânimo, esperança e ensinamento, com Jesus garantindo aos discípulos que, indo para o Pai, lhes prepararia lugar e os buscaria depois.

A conclusão deste discurso de Jesus traz uma declaração totalmente coerente com tudo o que o Mestre tem dito até aqui. Porém muito estranha, se a lermos sob a ótica do nosso tempo e da realidade das nossas igrejas, principalmente dos nossos púlpitos. O Senhor diz que tudo o que pedirmos no nome dele, ele o fará. E o afirma duas vezes, nos versos 13 e 14, para deixar bem claro.

Vendo com quem Jesus está falando, sua promessa faz sentido. Jesus caminhou com estes homens três anos. Fez de tudo para lhes mostrar quem ele era de fato e para que cressem nele e seu objetivo foi alcançado, como nos diz Jo 17.6-8. O Senhor falava com pessoas que sabiam quem ele era, haviam recebido a sua palavra e estavam comprometidos com sua obra.

Alguém com esse perfil certamente será atendido por Deus em todos os seus pedidos. Não por que o Senhor o tem como preferido ou que essa seja a fórmula mágica para se alcançar algo de Deus; mas por que quem age dessa forma, terá a sua vontade coerente com a vontade do Pai.

Em Jo 14.13 Jesus disse que faria qualquer coisa que fosse pedida em seu nome para que o Pai fosse glorificado. Tiago 4.3 nos diz que costumamos fazer pedidos a Deus e não sermos atendidos porque pedimos mal, para atender aos nossos próprios prazeres. Quem conhece a Cristo de verdade e o serve, terá seus pedidos atendidos por causa da natureza e intenção deles: glorificar o Pai.

Há orações que o Senhor nunca deixa de responder. Se pedirmos pelo Espírito Santo, ele certamente nos responderá. Se quisermos ser usados por ele, idem. Se orarmos para que sejamos fortalecidos contra o pecado, para que a injustiça diminua - a começar na nossa prática, para que "venha o teu reino", como diz a oração modelo. O Senhor não deixará de atender tais pedidos, pois são de acordo com seus planos para nós.

Que tal, a partir do dito de Jesus sobre a oração, refazermos o verso de Tiago 4.3?

"Pedimos e recebemos, porque pedimos bem. Para satisfazer a vontade e cumprir os planos do Senhor, não os nossos próprios caprichos."

Nenhum comentário: