sábado, 6 de agosto de 2011

Deus se envolve emocionalmente com nossas questões?

Uma das ênfases de João em seu Evangelho é a humanidade de Jesus. O evangelista faz questão de retratar episódios que destacam seu lado humano, como o fato de ter feito lodo para curar um cego, por exemplo (Jo 9.6-7). João ainda nos mostra a infância de Jesus com exclusividade, sendo o único evangelista a fazê-lo. Jesus pediu água para beber (4.7), chamou a si mesmo de Filho do homem (8.28, entre outros), etc.

No capítulo 11 do Evangelho, Jesus é informado de que Lázaro, seu amigo, estava doente. Jesus dispõe-se a ir até ele, mas ainda demora dois dias onde estava (11.6). O Mestre sabia que Lázaro morreria e que ele o ressuscitaria (11.11-15). A demora para se deslocar e o fato de ter chegado já quatro dias depois que Lázaro havia sido enterrado não tirava o Senhor do controle da situação (11.17).

Aqui o que me surpreende: Jesus sabia que Lázaro estava morto e já estava certo de que o ressuscitaria. Ele antecipa isso a Maria antes de fazê-lo (11.23). Se ele já tinha tudo sob controle e sabia de antemão como tudo aconteceria, por que chorou ao chegar onde Lázaro estava (11.35)?

A conclusão da narrativa é mesmo a prevista: Jesus ressuscita o seu amigo, o que causa um alvoroço entre os judeus, para variar.

A comoção de Jesus deve nos remeter ao seu cuidado conosco. A sua pré-ciência não afetou a maneira de tratar a dificuldade de seu amigo e sua família; ainda que sabendo e controlando tudo, ele estava emocionalmente envolvido. Este lado humano de Jesus motiva-me ainda mais a servi-lo e espero que faça o mesmo contigo. O Senhor cuida de nós e não o faz somente porque ele pode ou por ser "parte de sua função". O faz porque assim deseja, e o faz com o coração dedicado, emocionalmente envolvido com o nosso cuidado.

Glória a Deus por cuidar tanto de nós.

Nenhum comentário: