sábado, 30 de julho de 2011

João 5.16-30; 31-47 - Jesus, por ele mesmo

Estes últimos textos devocionais sobre o Evangelho de João seguem a leitura pessoal que tenho feito do Novo Testamento, junto com meus irmãos da Missão Getsêmani em Pedro Leopoldo, como disse há alguns posts atrás.

A intenção é de publicar devocionais, não estudos. Porém, ao me deparar com o texto citado no título, não poderia deixar de fazer ao menos algumas observações simples sobre ele. Não publicarei devocionais sobre todo o texto (a intenção inicial era um devocional por capítulo), por isso quero enfatizar para você, que tem seguido estas publicações, o que João prioriza mostrar-nos neste discurso de Jesus.

A primeira parte, dos versos 16-30, traz para nós mais características da pessoa de Cristo. O próprio Jesus é quem profere o discurso, motivado por uma discussão com os judeus. Nesta parte, Jesus nos diz que ele:
  1. É dependente do Pai, sem o qual não pode fazer nada (5.19,30) - Se ele não pode, imagine nós!
  2. É amado pelo Pai, que lhe revela as suas obras (5.20)
  3. Tem o poder de conceder a vida eterna, também junto com o Pai (5.21)
  4. Recebeu de Deus todo o poder para julgar (5.22, 27)
  5. Possui a mesma honra que o Pai (5.23)
  6. É aquele através de quem se crê para a vida eterna (5.24) e por meio de quem virá o fim dos tempos (5.25-30).
Como já disse aqui, João se preocupa muito em nos dizer quem de fato é Jesus.

Na segunda parte do texto, que identificamos nos versos 31-47, Jesus fala sobre o testemunho que é dado dele mesmo. Para isso, usa como testemunhas:
  1. João Batista (5.32-35)
  2. Suas próprias obras (5.36)
  3. Deus Pai (5.37-38)
  4. As Escrituras do Antigo Testamento (5.39)
  5. Moisés e a Lei, a respeito da qual Jesus estava sendo questionado neste momento por seus opositores (5.45-47)
Os versos 41-44 apresentam ainda uma comparação entre o louvor e a glória humanos e a glória de Deus, a qual reveste Jesus de autoridade.

Este discurso riquíssimo de Jesus colabora para a ênfase de João na sua pessoa. Destaco este texto para voltar nossa atenção à intenção do autor ao escrever, que é identificada por suas ênfases e seleção minuciosa de detalhes que nos narra.

O texto bíblico, por si só, já é riquíssimo. Mas como temos visto aqui, o que o autor intenta nos transmitir também é palavra de Deus para nós: precisamos compreender corretamente quem é Jesus. Tão repetitivo quanto tem sido este fato nas últimas postagens, o é no Evangelho joanino. E tanto quanto é repetitivo, é importante que saibamos disso.

Nenhum comentário: