terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

I Ts 5: Como um ladrão! Ou não.

Os irmãos tessalonicenses acreditavam erroneamente que Jesus voltaria muito em breve. E ainda tinham outros problemas quanto ao fim dos tempos: como afirmam alguns teólogos, possivelmente criam que a ressurreição do corpo não existiria, mas que a ressurreição se dava de forma espiritual e que os crentes já a tinham experimentado.

Neste contexto, o Apóstolo retoma uma metáfora que Jesus havia usado, a de que o Senhor viria como um ladrão de noite, e a explica a seus leitores.

O ladrão é alguém que vem de surpresa e pega sua vítima desapercebida, causando-lhe dano. Com certeza, essa não é a expectativa que temos quanto à volta de Cristo, mas ela cabe muito bem da forma que Paulo a aplica.

Estamos certos de que, quando o Senhor vier, não nos causará prejuízo. Antes, será motivo de alegria, pois seremos final e definitivamente redimidos. Toda tristeza será consolada, a justiça será feita e teremos uma alegria eterna, bem diferente e melhor do que tudo o que já experimentamos. Ao contrário do que dizem alguns, a segunda vinda de Jesus não é um "horizonte utópico", que serve como uma esperança norteadora para a nossa prática. Ela é real!

Para aqueles que vivem nas trevas, como dizem os primeiros versos do cap. 5, pensando poderem fazer tudo o quanto quiserem sem se preocuparem com Deus, ele virá com um ladrão e lhes causará dor e perda (5.3). Porém, para os que o esperam, não haverá susto, mas alívio. Afinal, não fomos destinados à ira, mas à salvação (5.9).

Portanto, ou vigiamos e nos portamos como quem anda na luz (5.5-6; I Jo 1.5-10) e seremos abençoados com sua volta (5.9; Ap. 21.1-4; ou vivemos como acharmos melhor (5.3, 6-7; Sl 14.1; Rm 1.21-32; etc) e seremos "pegos" quando ele chegar.

Para nós, ao invés da metáfora do ladrão, serviria melhor a de uma visita muito aguardada, mas que não avisou a que horas chegaria. Assim, pode chegar pela manhã, tarde ou noite, que será bem vinda e recebida com alegria.

 Estejamos prontos e aguardando o Senhor. Viveremos nossa vida normalmente; trabalharemos, pregaremos o evangelho e nos santificaremos. Ele pode ou não voltar enquanto estamos vivos. Mas, de qualquer forma, não fiquemos desprevinidos.

Nenhum comentário: