quinta-feira, 6 de março de 2008

Deus de perto

Sl 23:4: “Mesmo quando eu andar por um vale de trevas e morte, não temerei perigo algum, pois tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.”
Emanuel: Deus conosco.
Sl 139:7: “Para onde poderia escapar do teu Espírito? Para onde poderia fugir da tua presença?”
Mt 1:23 e Is 7:14: “A virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamarão Emanuel, que significa ‘Deus conosco’”.
Mt 28:20: “[...] E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos.”

O Senhor é um Deus presente. Ele passa conosco pelo vale da morte, nos consola nas tribulações, sempre deixa-se sentir nos momentos mais difíceis. Apesar de sabermos disso, porém, costumamos agir contrariamente a essa verdade. Principalmente quando passamos por dificuldades. “Levanta-te, Senhor!”. Disse o salmista (Sl 10:12). Davi estava tão indignado com a situação da qual se queixa neste salmo, que diz que o Senhor parece ter se ausentado (Sl 10:1). De tão inconformado que estava, esqueceu-se de que Javé era aquele Deus presente do Salmo 139, do 23 e de tantos outros.

Declaramos pensar que Deus está ausente quando, nas tribulações e dificuldades, oramos pedindo para que Deus intervenha, tome uma providência, “levante-se do seu trono” para nos socorrer. Pedimos que ele venha até nós, ao invés de crermos que ele já se faz presente, como prometera, e nos colocamos a perguntar até quando passaremos por determinada situação sem que ele faça algo. Ter “gozo ao passar por provações” (Tg 1:2)? Nós vamos é “repreender o inimigo”, que está “furioso contra nós”!

Devemos orar de uma maneira mais coerente com o que cremos e com o que a Palavra de Deus nos ensina. Como visto nas referências inicias, ele nunca se ausenta, está em todo o tempo conosco. Por crer que ele nunca perde o controle da situação; por crer que “todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus” (Rm 8:28) e que ele sempre passará conosco por qualquer que seja o vale, proponho a seguinte oração:

“Muito obrigado Senhor, por estar conosco sempre e nas horas mais difíceis. Muito obrigado por nunca se ausentar, conforme nos prometera; e ajuda-nos a entender os teus propósitos nas diversas situações da nossa vida, sejam quais forem.
Cremos que tu és o Senhor, o que rege todo o universo; e cremos que tudo o que nos tem permitido passar coopera para o nosso bem. Muito obrigado por tua eterna e consoladora companhia.
Amém.”